sexta-feira, 27 de junho de 2014

[TAG] Palavras Cruzadas

Bom dia, queridos e queridas nerds literários!
Depois de algum tempo vim responder essa TAG, que já é velhinha na blgosfera literária.
Adoro responder TAGs porque nos dá chance de falar um pouquinho sobre vários livros, de diversos gêneros diferentes; ao contrário de uma resenha por exemplo, quando comentamos apenas de um livro e seu respectivo gênero.
Essa em particular foi uma delícia de responder, porque são várias perguntas e isso sempre me faz pensar um pouquinho, pra não repetir os livros citados nas outras TAGs e trazer sempre conteúdo novo pra vocês. =D

Essa TAG foi criada pela Inês, do InêsBooks, uma blogueira lá de Portugal que tem um canal super gracinha. Várias pessoas já responderam, e pra quem ainda não viu, indico o vídeo da Tati Feltrin e do canal Olhos de Ressaca; super divertidos!
São 15 itens para associar com um livro correspondente. Como sempre, alguns foram bem fáceis, outros me fizeram pensar, e outros preferi fazer outra escolha pra não repetir sempre os mesmos livros.
Sem mais delongas, que comece a TAG! =D

1) Vox Populi (um livro para recomendar a toda a gente) 

As Aventuras do Sr. Pickwick - Charles Dickens


Existem vários motivos para recomendar esse livro pra todo mundo. Ele é um clássico, que desmistifica aquela ideia de que todo clássico é chato. Ri muito com esse livro, do nível sair lágrimas nos olhos! É um livro que demonstra a delícia da escrita de Dickens, que pra mim é o maior autor de todos os tempos, quando o tópico é clássico. O livro tem um humor nonsense muito fino e muito gostoso de ler, a leitura voa e o enredo não tem aquelas descrições chatas e intermináveis; mas sim cenas comoventes. Sim, minha gente, Dickens sabe fazer chorar como ninguém. E sabe cativar também: esse é o livro preferido do meu irmão, que nem é tão fã de livros clássicos assim. Recomendo com cinco estrelinhas e mais uma de bônus!

2) Maldito plágio (um livro que gostaríamos de ter escrito)

O Bandolim de Corelli - Louis de Bernières


Sou leitora assídua de livros que falam sobre guerras, em especial a Segunda Guerra Mundial. E meu sonho era encontrar um livro que retratasse uma história com a medida exata de romance, revolta, emoção e alegria. Um livro que fugisse dos clichês no final. E quando encontrei O Bandolim de Corelli, meu sonho se realizou! É até engraçado, porque na verdade eu e minha avó estávamos fazendo compras quando eu vi esse livro na banca do supermercado. Como sempre, comprei. E tive dois dias maravilhosamente inesquecíveis de leitura! Se eu pudesse ter escrito um livro, seria esse, porque me deixaria orgulhosa como nenhum outro. 

3) Não vale a pena abater árvores por causa disto

Morte Súbita - J. K. Rowling


Para os seguidores do blog, é auto explicativa a escolha. Para os visitantes: detesto esse livro com todas as minhas forças, já tentei duas vezes e nunca consegui passar das cem primeiras páginas e acima de tudo, quero meu dinheiro de volta, porque paguei um absurdo nele na pré venda. (nossa Mari, me fala de verdade o que você sente! Hahahahaha). Não valeu o meu dinheiro e pior ainda, não vale as árvores que foram gastas pra imprimir esse tédio em forma de livro.

4) Não és tu, sou eu (um livro bom lido na altura errada)

Lolita - Vladimir Nabokov


Comprei esse livro em um sebo, por míseros oito dilmas, e saí pulando feliz da vida, jurando que ia amar Lolita, assim como a maioria das resenhas que eu li. Isso foi em abril e até hoje estou empacada na página 81. Achei, até agora, o livro simplesmente nojento: é a descrição da mentalidade de um pedófilo, pura e simplesmente. Tentei intercalar com outras leituras, mas ficou pior ainda, talvez por eu ter escolhido alguns do gênero YA. Enfim, espero continuar a leitura depois de ler alguns clássicos pra tentar ler até o final; só abandonei três livros até hoje na minha vida e não vou dar esse gostinho pro Nabokov!

5) Eu tentei... (um livro que tentamos ler, mas não conseguimos)

O Mundo de Sofia - Jostein Gaarder


Não me lembro porque diabos fui começar esse livro, se foi indicação na escola, pelo título, ou por indicação de alguém. Só sei que tentei até mais ou menos a metade, sentindo o suicídio em massa dos meus neurônios, e desisti sem nenhum peso na consciência. É o livro mais entediantemente chato da história da literatura, na minha opinião, e abandonei feliz da vida. Não pretendo tentar novamente a leitura por, pelo menos, dez ou doze vidas. E também não me lembro de conhecer alguém que tenha gostado. Se você é uma dessas pessoas, meus parabéns, e por favor, identifique-se nos comentários! Hahaha.

6) Hã? (um livro que lemos e não entendemos nada OU um livro que teve um final surpreendente)

O Último Dia - Gleen Klener


Tudo nesse livro é surpreendente. É surpreendente que um autor pegue um tema incrível desses (virada do milênio feat destruição do mundo) e faça ele virar um enredo sem pé nem cabeça. É surpreendente que nenhum revisor não tenha se dado ao trabalho de eliminar, nem que por piedade, umas 25 páginas do livro (não precisava nem ler, era só ir no mamãe-mandou, o livro não tem nenhum sentido!). É surpreendente que a editora aceitou publicar esse livro, e acima de tudo, é surpreendente o quanto uma sinopse pode enganar um pobre leitor a comprar um livro desses. Não entendi nem o enredo e nem a suposta mensagem que o autor quis transmitir, é o livro perfeito pra essa pergunta!

7) Foi tão bom, não foi? (um livro que devoramos)

O Hobbit - J. R. R. Tolkien


Quem já leu Senhor dos Anéis, vai entender que eu esperava que esse livro fosse uma das melhores leituras da minha vida, mas uma leitura mais lenta. Tolkien sabe como ninguém ser maravilhosamente descritivo! Mas eu li esse livro em um dia, tranquilamente; e foi um dos poucos que me deu uma vontade louca de recomeçar assim que terminei. Acho que justamente por ter esperado uma leitura mais lenta fiquei tão surpreendida por ter sido tão rápido. Eu também poderia citar aqui A Hospedeira e Band of Brotthers, porque todos esses eu li incrivelmente rápido, mas nenhum deles tão deliciosamente quanto O Hobbit!

8) Entre livros e tachos (uma personagem que gostaríamos que cozinhasse para nós)

Gostaria muito, mas muito mesmo, que o Kvothe fizesse pra mim a torta que ele fez para o Bast e o Cronista no O Temor do Sábio, e também o pão e a sopa que ele fez no O Nome do Vento. Podia rolar um jantar, o Bast poderia comer as azeitonas que ele tanto gosta, e o Kvothe podia trazer a Auri também, pra ela nos ensinar boas maneiras à mesa. Essa seria uma torta inesquecível! =D

9) Fast Forward (um livro que podia ter menos páginas que não se perdia nada)

Christine - Stephen King


Esse livro poderia ter menos páginas, por um único motivo, que é: matar menos as pessoas de medo. Hahahaha. Sério, passei uma semana conferindo se as portas estavam trancadas e olhando pra Gertrudes desconfiada (Gertrudes é a minha moto). Pior que isso, só quando eu li As Bruxas de Mayfair e As Crônicas Vampirescas da Anne Ricce de uma vez só (mais de 20 livros!!), que passei desse jeito pra pior por uns dois meses. Pra quê, tio Stephen, fazer isso com as pessoas?

10) Às cegas (um livro que escolheríamos só por causa do título)

Uma Mulher de Fibra - Barbara Taylor Bradford


Achei esse livro em um sebo, tão detonadinho que dava dó. Comprei porque era bem baratinho, e porque adoro personagens femininas de personalidade forte. Não me arrependi e amei a leitura! É um dos meus livros preferidos, é enorme e conta a história da protagonista da infância até a adolescência, mostrando como e porque ela é uma mulher de fibra. Acho que é um dos mais relidos da minha estante!

11) O que conta é o interior (um livro bom com uma capa feia)

A Última Música - Nicholas Sparks


Esse livro está aqui pra representar uma categoria: dos livros que viram filmes e que acabam sendo relançados com as capas dos filmes, horrorosas, como essa ou pior. Esse exemplar eu ganhei do meu pai, que como ele mesmo diz, "já desistiu a muito tempo de entender como eu escolho meus livros", e como eu leio de tudo, ele vai lá, compra e pronto! Hahaha. Esse livro eu amei, e é o único do Nicholas Sparks que eu acho que realmente vale a pena comprar. Mas essa capa, pelamordaDiva! Com a Miley ainda por cima, é pra partir o coração mesmo. Quando eu quero muito o livro, faço o máximo pra comprar antes do lançamento do filme, e quando não consigo, já procuro de cara na Estante Virtual, que sempre me salva nesses casos.

12) Rir é o melhor remédio (um livro que nos tenha feito rir)

O Diário de Bridget Jones - Helen Fielding


Um dos gêneros que ando precisando urgente de indicações é o de comédias românticas. Como é bom um livro que nos alegra, quando estamos deprê! Esse eu recomendo para todas as mulheres, principalmente as que como eu, escreveram em diários por anos. Para os homens, As Aventuras do Sr.Pickwick, porque duvido que algum homem em sã consciência leria Bridget Jones sem morrer de tédio! Hahaha. Eu adoro e releio sempre que estou pra baixo, assim como meus livros preferidos. É o melhor conforto do mundo, seguido de: chocolate, filme de comédia e passar o dia com meus cachorrinhos.

13) Tragam-me os Kleenex, faz favor (um livro que nos tenha feito chorar)

A Lista de Schindler - Thomas Keneally


Confesso meu amor ao filme e ao livro de maneira incondicional aqui no blog, praticamente desde quando comecei a postar. Comprei o filme original há mais de 7 anos e esse ano comprei o livro, que estou criando coragem pra reler (assim como A Cor Púrpura), porque é uma tristeza sem fim, gente! Quando é baseado em fatos reais, eu já deixo lencinhos extras do lado. Tudo bem que choro até assistindo desenho animado, mas eu desafio qualquer pessoa a ler esse livro sem, no mínimo, encher os olhos d'água. No final do filme, tem uma cena extra, onde são mostrados um por um todos os judeus e familiares mostrados no filme. Chorei de soluçar, em todas as vezes que assisti; é a coisa mais linda, gente!

14) Este livro tem um v de volta (um livro que não emprestaríamos a ninguém)

(TODOS!)


Não empresto livros pra ninguém. Pode ser velho, pode ser novo, posso ter lido ou não. Dizem que o jeito mais fácil de perder um amigo é pedir por dinheiro emprestado; prefiro mil vezes emprestar dinheiro do que um livro! Hahaha. Tive péssimas experiências anteriores e realmente recomendo a política de tolerância zero. É um simples "não" que evita tantos problemas e estresses! Tenho duas raríssimas exceções, que são a minha prima, que raramente precisa já que ela tem mais livros que eu, e a minha mãe, que sempre diz que "fica tão nervosa e tomando todo o cuidado que prefere entregar o livro no dia em que acabar de ler". Sou a guardiã de livros da família, porque meu cuidado já é conhecido. Acho que sempre impressiona que a estante esteja sempre arrumadinha e meu quarto nem tanto assim! Hahaha.

15) Espera aí que eu já te atendo (um livro ou autor que estamos constantemente a adiar)

As Obras Completas de Sherlock Holmes - Arthur Conan Doyle


Esse livro está na geladeira desde o começo do ano, pelo simples motivo que: eu não quero que ele acabe! O livro é tão bom, que vou recomeçar a leitura do zero e ler degustando, com toda a atenção e carinho que o Sherlock merece. É um livro gigantesco! Pra ter uma ideia, consultem essa página do Projeto Gutenberg, onde alias todos os livros estão para download, já que as obras já são de domínio público (os livros estão em inglês!). Pretendo retomar a leitura e ler um livro dele por vez, mas de forma contínua; espacei muito a leitura e acabei perdendo o ritmo. O adiamento aconteceu porque tenho livro demais pra ler! Hahaha. Mas pretendo retomar ainda esse ano, porque Sherlock é muito amor! 

Eeeee... acabou! Vish essa TAG é longa! Hahaha. Se você chegou até o final, muito obrigado! Foi com muito carinho que fiz esse post, espero que tenham gostado!
Beijos, e até a próxima 
=D