quinta-feira, 24 de julho de 2014

[Resenha] Orgulho & Preconceito - Jane Austen

Olá queridos e queridos nerds!
Nessa loucura que é a Maratona Literária 3.0, as resenhas são as mais difíceis (ainda mais quando sua meta de leitura são 5 livros em 7 dias, oh God! Hahaha), mas na minha opinião são essenciais!
Essa releitura foi especialmente deliciosa pra mim, porque desejava o livro há muito tempo e só recentemente comprei meu exemplar (uma edição linda & polêmica com Orgulho & Preconceito, Razão & Sensibilidade e Persuasão). Além disso, sou apaixonada por literatura clássica e mais ainda por Mr. Darcy! 
Essa (re)leitura também faz parte do meu projeto pessoal Livros & Filmes, e espero poder assistir não só o filme como a série de 1995 lançada pela BBC. Assim que eu conseguir assistir contarei tudo pra vocês! 
Fiquei muito feliz e muito satisfeita com a minha escolha e não poderia estar mais satisfeita com a minha primeira meta cumprida!




Orgulho & Preconceito é, na minha humilde opinião, a melhor obra de Jane Austen (e coloco em segundo lugar o espetacular A Abadia de Northanger). Embora tenha sido escrito em 1797, só foi publicado pela primeira vez em 1813. Uma das coisas mais fantásticas desse livro é que a autora tinha apenas 21 anos quando o escreveu, e como a obra só foi publicada 16 anos depois, ela nunca soube do enorme sucesso que foi, e ainda é, Orgulho & Preconceito. Ela morreu aos 42 anos, apenas 4 anos depois da primeira publicação. O livro tem hoje cerca de 20 milhões de cópias vendidas ao redor do mundo.
Vale lembrar que a obra só chegou ao Brasil em 1940!!
Não se enganem ao pensar que é apenas mais uma história de amor. O livro explora as caraterísticas e personalidades dos personagens ao máximo, e traz muito dos hábitos da sociedade da época; o que pra mim é tão interessante quanto os romances!
O enredo traz a história da família Bennet, composta de 5 irmãs e pais muito excêntricos. A mãe tem uma única grande preocupação na vida, que é casar as cinco filhas (como todas as mães de meninas na época), e o pai vive em um casamento catastrófico, já que ele não ama nem respeita sua mulher, embora seja completamente devotado às filhas, especialmente à Elizabeth, que é sua favorita.
As irmãs Bennet são tão diferentes quanto irmãs podem ser. As mais velhas, Elizabeth e Jane, são mais próximas e tem personalidades mais parecidas: são mais contidas e preocupadas com as normas da sociedade. Jane é mais calma, enquanto Elizabeth é mais espontânea e extremamente sincera, o que a torna ainda mais excêntrica perante a sociedade. As outras irmãs, Mary, Katharine e Lydia são completamente diferente das irmãs. Mary é devotada a leitura e não gosta de muito de ocasiões sociais (me identifiquei totalmente com ela... hahaha), enquanto Kitty e Lydia são unidas em um único propósito: namorar todos os oficiais que puderem. Nas próprias palavras de Elizabeth, são "frívolas, ignorantes e irrefletidas", e Lydia se esforça o mais que pode nesse objetivo, levando a família ao desespero ao promover um escândalo com suas atitudes.
Os romances centrais do livro são entre Jane Bennet e Mr. Bingley, um rico e simpático jovem que se muda para uma propriedade próxima às Bennet's, e entre Elizabeth Bennet e Mr. Darcy, o melhor amigo do Mr. Bingley.

HE'S GINGERY!!
HAHAHAHAHAHA

Mr. Fitzwilliam Darcy & Elizabeth "Lizzie" Bennet

Os romances das duas irmãs estão relacionados desde o princípio, já que Mr. Darcy não vê a união do seus amigo Charles com Jane Bennet de forma positiva. Ele não aprova a família Bennet, as indiscrições sociais dos pais e das duas irmãs mais novas, e também não aprova o fato de que elas não tem nenhum dote (já que a renda da família é muito pequena, e afinal de contas, são 5 filhas!). Mr. Darcy também acredita que Jane não goste de Charles tanto quanto ele gosta dela, e por conta disso, faz de tudo para separar o casal. (Que coisa feia, Mr. Darcy!)
Quando Lizzie descobre, fica furiosa e passa a hostilizar o pobre Mr. Darcy em todas as ocasiões em que eles se encontram. Ela o detesta, acha suas atitudes altivas e orgulhosas demais, porque em nenhum momento ele faz questão de ser agradável ou sociável. A cena do baile, mostra no filme de 2005, é citada no livro como uma das demonstrações de orgulho de Mr. Darcy.
Os romances entre os dois casais se desenrolam em paralelo, quando de repente Lydia Bennet deixa toda a família vulnerável a um escândalo que poderia impedir o casamento de todas as irmãs e levar os pais à desgraça pública. Mr. Darcy teve papel fundamental nesse momento, e a Lizzie não sabendo de nada, continuou a odiá-lo.
O desfecho começa com a descoberta da ajuda do Mr. Darcy e de uma carta (owwnn... uma carta gente, tem coisa mais linda? ) onde ele se defende das acusações dela. O final do livro é lindo, não deixa as tão odiadas "pontas soltas" e cativa do começo ao fim!
Se você quer saber quem casou com quem, e quem não casou, leia o livro Orgulho & Preconceito e se delicie com a escrita de Jane Austen!
Minha classificação não poderia ser outra: ✩✩✩✩✩
Cinco de cinco estrelinhas para Orgulho & Preconceito! =D
Meu livro está repleto de post-it's marcando os vários quotes que gostei, e escolher apenas um foi bem difícil! Mas esse em especial me chamou a atenção, porque basicamente é Mr. Darcy sendo Mr.Darcy! Hahaha.

Eike bafão! Hahahaha

E por hoje é só, pessoal!
Nunca tinha tentando antes fazer uma resenha tão sem livre de spoilers, porque espero mesmo que vocês se animem a ler as obras de Jane Austen. E nessa correria gostosa de Maratona, ainda por cima! Hahaha.
Mas espero que tenham gostado!
Beijos & até a próxima =D