quarta-feira, 15 de janeiro de 2014

3º Desafio da Maratona Literária 2.0 - Haicai

Oi queridos e queridas!
Voltei pra responder o 3º desafio da Maratona. Gente do céu, de quem foi essa ideia? Are u crazy?? Hahaha.
Praticamente 90% dos meus neurônios entraram em greve depois de se esforçar pra fazer esses três haicais, todos baseados no The Best Book 2013, que é claro, é O Temor Do Sábio (o segundo livro da trilogia As Crônicas do Matador do Rei).
Nem vou perguntar o que vocês acharam, porque eu sei o que vocês vão falar... Hahaha!  Mas foi de coração viu! 
E obrigado à Maratona Literária por me fazer entender, completamente, as dificuldades de ser uma escritora! Vem comigo conferir minhas "criações" :D

Depois de muitos rascunhos (escritos a mão, não sei porque mais raciocino melhor escrevendo; deve ser a idade!), eis os meus três Haicais sobre O Nome do Vento:

 Haicai 1
Sabedoria
em mim adormecida
em todo meu ser

Haicai 2

O silencio
naquelas três partes
sempre assombra

Haicai 3

Eternamente
um sábio arcanista
ele será

Interessante a história dessa forma poética! Você sabe o que é Haicai?
Haicai é um poema de origem japonesa, que chegou o Brasil no início do século 20, e hoje conta com muitos praticantes e estudiosos brasileiros. No Japão, e maioria dos países do mundo, ele é conhecido como Haiku. Segundo Harold G. Henderson, em Haiku in English, o haicai clássico japonês obedece a quatro regras:

1º - Consiste em 17 sílabas japonesas, divididas em três versos de 5, 7 e 5 sílabas;
2º - Contém alguma referência a natureza (diferente da natureza humana);
3º - Refere-se a um evento particular (ou seja, não é uma generalização);
4º - Apresenta tal evento como "acontecendo agora" e não no passado.

Não sei quanto a vocês, mas eu já imagino aqueles velhinhos japoneses muito fofos e simpáticos, nos parques com aquelas imensas árvores cerejeiras, com bloquinhos de papel vertical na mão, compondo haikus. Só essa cena já valeria uma viagem ao Japão (tô aceitando presente, pessoal!!)
Na transição do haicai para outros países, algumas dessas regras podem ou não serem seguidas, com maior ou menor fidelidade, dependendo do poeta.
Quem quiser mais informações, é só acessar a página do Grêmio Haicai Ipê, poetas brasileiros dedicados ao Haicai desde 1987 (se quase fundi meu cérebro tentando fazer um haicai um único dia, imagina fazer isso por 27 anos!!) nesse link. Super recomendo a visita!
Pra encerrar o post, impossível não citar o super, maravilhoso, magnífico criador de haikus... O Deus Apollo, da saga Percy Jackon!
(não dá nem pra descrever, vou apenas postar... hahahahaha)




Esse aqui vou ter até que postar o trecho do livro, no original, embaixo, porque mais do que merece uma explicação!


“He cleared his throat and held up one hand dramatically.

“Green grass breaks through snow.

Artemis pleads for my help.

I am so cool.”

He grinned at us, waiting for applause.
"That last line was four syllables.” Artemis said.
Apollo frowned. “Was it?”
“Yes. What about I am so bigheaded?”
“No, no, that’s six syllable, hhhm.” He started muttering to himself.
Zoe Nightshade turned to us. “Lord Apollo has been going through this haiku 
phase ever since he visited Japan. Tis not as bad as the time he visited 
Limerick. If I’d had to hear one more poem that started with, 
There once was a godess from Sparta-" 
“I’ve got it!” Apollo announced. “I am so awesome. That’s five syllables!” 
He bowed, looking very pleased with himself.

Depois desses lindos e inspiradores poemas, eu me despeço, tenho que continuar o 4º livro *-*
Bjos & Até amanhã!!

p.s: Quem consegue ter alguma vida durante a Maratona? Impossível! Socorrrrr!