terça-feira, 30 de dezembro de 2014

[TAG] Oscar Literário 2014 - Os Piores do Ano

Oiii gente!!
Como vocês estão no penúltimo dia do ano? Eu tô bem feliz, afinal 2014 está acabando! \o/
Não gostei muito desse ano em geral, achei o primeiro semestre até ok, mas no segundo o ano ficou tão ruim e sem graça que acabei ansiando ainda mais por 2015 - com exceção da Bienal, que foi uma lindeza só! ♥
Como nem tudo sem flores nessa vida, e eu já contei sobre os melhores livros do ano, hoje vim contar os Framboesas de Ouro... Hahaha.
Vem comigo saber quais foram as piores leituras do ano =(

Tudo bem, não gostei muito de 2014. Mas em termos de leitura, não tenho do que reclamar! Li bastante esse ano e atingi duas metas de leitura: a Maratona Literária e a meta no Goodreads foram adequadamente finalizadas! \o/

Li muita coisa boa, e poucas coisas ruins; felizmente! Mas sempre existe aquela pequena decepção literária, aquele livro que não era bem o que a gente esperava que fosse. Como o post acabou ficando muito extenso (pra variar!), resolvi separar os piores e melhores do ano. Eis aqui os Framboesas de Ouro de 2014!

Pior Livro: Lolita - Vladmir Nabokov

Comecei esse livro em junho e me arrastei na leitura por seis meses, até terminar há poucos dias atrás, agora em dezembro; por pura força de vontade. Nunca pensei que diria isso sobre um clássico, mas odiei a leitura do começo ao fim! Não achei nada agradável ficar 300 páginas na mente de um pedófilo, totalmente maluco, enquanto ele planejava coisas nojentas atrás de coisas nojentas com uma menina. Foi a minha primeira experiência com Nabokov e foi o primeiro clássico que verdadeiramente odiei, acho que esses dois fatores me deixaram sem ação. Virei cada página procurando por uma melhora que não vinha, por uma mudança no enredo que não chegava nunca; foi uma agonia. Deixei ele de lado tantas vezes que pensei em desistir, mas cada vez que eu pensava em dar esse gosto para o Nabokov, surgia uma força que me incentivava a terminar. Bolei um plano de ler "apenas" 50 páginas por dia, intercalando com outra leitura (para o bem dos meus neurônios), e foi assim que eu terminei a leitura: penosamente. Achei o enredo nojento e a escrita incrivelmente entediante. Uma de cinco estrelinhas e o prêmio de pior leitura do ano. Nada mal, Nabokov!


Pior Capa: Série Diários de Um Vampiro - J. L. Smith

Ganhei dois livro dessa série da minha querida prima Ângela, que por algum motivo tinha dois exemplares do 2º e 4º volumes (também não entendi). Completei a série no meu aniversário e dos livros da minha estante, posso afirmar que essas são uma das capas mais feias! Não gosto de capas com pessoas em geral, ainda mais quando são de rostos. Mas essas capas foram supostamente feitas para "se completar", o que não faz o menor sentido, como vocês podem ver pela foto. Não entendi a jogada e achei de muito mal gosto, especialmente para uma série que fala sobre vampiros - na minha opinião, ficou parecendo a série prima pobre de As Crônicas Vampirescas, da Anne Rice (você pode conferir uma das maravilhosas capas dessa série clicando aqui).
Ainda não li os livros, e nem tenho previsão, graças a mais um dos meus projetos ambiciosos, que é reler a coleção de livros da Anne Rice inteira novamente (para só então ler o novo livro, Príncipe Lestat, novo livro da série que tem previsão de lançamento no Brasil para março de 2015). E posso atestar sem sombra que uma capa feia não dá nenhuma empolgação para a leitura.

Pior Protagonista Masculino: Humbert, de Lolita - Vladmir Nobokov

Bom, acho que nem precisa explicar muito, não é? O cara é um pedófilo, e um maluco. Se acha esperto e inteligente, mas sabe que o que faz é errado e passa boa parte do livro se recriminando e dizendo que sente nojo de si mesmo, metido a poeta, etc etc etc; mas em nenhum momento se diz arrependido ou quer procurar ajuda.
Nem por encomenda eu encontraria um protagonista pior para o Oscar de 2014. Parabéns pelo prêmio, senhor Humbert!


Pior Protagonista Feminina: Catherine Tramell, de Instinto Selvagem - Richard Osborne

Essa categoria me fez pensar um pouco, e confesso que achei um pouco difícil escolher. Tive algumas outras opções, como a Clary, de Instrumentos Mortais (estou disposta a jogar todo o meu desgosto com a série em cima da Clary, aliás). Mas, analisando melhor, escolhi a Catharine, porque nada é mais irritante do que um personagem wannabe, que passa o livro inteiro querendo ser o que não é. Ela se fez de durona, inteligente, maravilhosa e tudo mais, e no final da história, maluca de pedra é a única coisa que ela é. Acho que modifiquei um pouco o significado da categoria da TAG, mas não pude pensar em mais ninguém. Além disso, ela daria um ótimo par com o Humbert; e os dois juntos formariam um lindo casal de psicopatas. Só não sei se ele aceitaria (ainda que fosse a Sharon Stone, ela não tem mais doze anos).

Pior Personagem Coadjuvante Masculino: Alexander Conklin, 
de A Identidade Bourne - Robert Ludlum

Esse cara é maligno, gente! Alexander Conklin é o ex-comandante do Bourne e coordenador do projeto Tradstone inteiro, o que por si só, já explica como ele é mal. Mas, no livro, descobrimos cada coisinha pavorosa que o sr. Conklin fez e planejou para resolver o "problema Bourne". Não dá pra comentar muito, por causa dos spoilers, mas posso garantir que o Alexander não tem nenhum escrúpulo, nem honra. O que ele fez com um dos seus melhores soldados, baseado em puro medo (porque afinal, eles não tinham nenhuma prova que Bourne tinha mudado de lado) merece o prêmio Pior Coadjuvante do ano!

Pior Personagem Coadjuvante Feminino: a Outra Mãe, de Coraline - Neil Gaiman

Escolhi a Outra Mãe, porque ela sem sombra de dúvidas é a personagem coadjuvante feminina mais maligna do ano. Coraline foi a minha 35º leitura do ano e meu primeiro contato com Neil Gaiman; eu fiquei tão de queixo caído que estou esperando passar algum tempo pra tentar outra leitura, e evitar comparações. Coraline é um livro de terror para crianças (sim, isso mesmo, tio Gaiman vid@ lok@) que dá medo em adultos também. Sabe aquele tipo de livro que cada vez que você lê, descobre uma coisa diferente? Coraline é um ótimo exemplo disso. Não chega a ser um Stephen King mas não recomendo esse livro como leitura de cabeceira! #PesadelosModeON
Essa ilustração é da edição em inglês, que foi ilustrada por Dave McKean. Como li no tablet, fiquei por conta da minha imaginação (o que não ajudou em nada). Leitura super recomendada!
p.s: Muitos blogs recomendam Coraline, como um ótimo livro de escolha para quem está começando a ler em inglês. Fica a dica!


Pior Enredo/História: Trilogia Divergente - Verônica Roth

Sem querer causar nenhuma polêmia, mas talvez já causando, infelizmente tive que escolher a trilogia Divergente como o pior enredo do ano. Por favor, não me matem, eu explico! =)
Os seguidores do blog sabem que eu não sou nada fã do estilo literário jovem adulto, também conhecido como YA. E também não lido bem com distopias em geral; por alguma razão que ainda não entendi muito bem. Mas ainda sim, acho que boas distopias sempre podem ser uma leitura bem introspectiva e com muitas lições para ensinar (como Viagens de Gulliver, por exemplo!); mesmo que eu não goste do estilo literário tento ao máximo ir de cabeça aberta para a leitura, e já tive ótimas surpresas, como em Jogos Vorazes. Não foi isso que aconteceu com Divergente. 
É uma história legal, bem escrita. Mas o enredo é simplesmente sem sentido! No começo pensei que o livro estivesse lidando com um profundo senso moral dos esteriótipos, como todos tentamos nos colocar em categorias e pré-conceitos. Depois de váários rodeios, a protagonista muda de "facção" e simples assim, a história perde totalmente o "profundo senso moral". É uma boa leitura de entretenimento e tem várias cenas de ação legais, mas é só isso, na minha opinião. Classificação 2,5 de 5 estrelas e prêmio de pior enredo do ano para Divergente!

Pior Autor: Nenhum

Essa categoria todo ano tem essa mesma resposta, porque é muito difícil dizer que um autor é ruim. Como eu poderia escolher Nabokov ou Veronica Roth, se ainda não li nenhum outro livro deles? Acho meio injusto porque, por menos que eu tenha gostado desses livros, isso não me impediria de tentar uma outra leitura de outras obras desses autores, no futuro. Já tive ótimas surpresas e sei que nem todos os livros de um autor (nem mesmo do nosso autor preferido!) podem ser todos maravilhosos ;-)

E esse foi o post de hoje! Estou me sentindo mais mal que a Malévola depois de tantas críticas... Hahaha. Mas, a verdade é que escolher os piores do ano não foi nada fácil! Em algumas categorias, tive que interpretar o significado de "pior" de uma forma meio estranha, como vocês puderam observar. Vida de blogueira não é fácil nessas horas! 
Em breve estarei de volta pra contar pra vocês quais foram os melhores do ano.  
Beijos & Até Mais!

Eu juro que eu sou boazinha!
Hahahaha