quarta-feira, 30 de dezembro de 2015

Framboesas de Ouro: As Piores Leituras de 2015

Olá, queridos visitantes e seguidores!
Como estão nessa quarta-feira de preguiça, a última desse longo, longo ano de 2015? Espero que estejam animados para o Ano Novo! Minha luta atual é para não deixar as comemorações de fim de ano atrapalharem as minhas metas de leitura. Apesar de já ter concluído meu desafio, quanto mais livros eu conseguir diminuir da minha lista de leituras, melhor! \o/
Hoje vim falar de coisa ruim: decepção literária. Sabe aquele livro que você tinha altas expectativas e acabou tendo uma leitura lenta, e no mínimo, complicada? #quemnunca
Vamos falar sobre eles!
Como sempre, quero começar esse post explicando que essa é apenas a minha opinião, e não é porque eu desgostei de um livro que ele é necessariamente ruim. Muitas coisas influenciam na experiência de leitura e todos nós temos gostos e preferências, além de expectativas pessoais.
Talvez o que torna um livro ruim para uma pessoa, seja exatamente o que encanta outro leitor; por isso, nunca julgue uma leitura pela experiência de alguém. Aprendi isso mais do nunca através do grupo literário que participo: mesmo quando os seus gostos são muito parecidos, sempre haverá aquele livro que será diferente do que você espera! Por isso, sempre tenha sua própria vivência com um livro para depois julgá-lo, e nós vamos concordar em discordar... Hahaha.
Como fiz mais de cem leituras em 2015 (SIM TAMBÉM ESTOU CHOCADA!), separei as minhas escolhas em algumas categorias:

Pior Livro Clássico: Robinson Crusoé - Daniel Defoe

Minha leitura mais recente, que terminei há dois dias, e a maior decepção literária do ano. Mais um caso clássico em que a escrita do autor é viciante, mas a história simplesmente não tem nenhum apelo, e é impossível simpatizar com o protagonista. Até cerca de metade do livro, li literalmente de uma só vez; mas em um certo ponto da história o autor passou de "aventura em uma ilha deserta possivelmente visitada por canibais" a evangelização e violência, o que me pareceu totalmente inadequado e me fez perder o interesse na leitura. Ainda sim, o final guarda algumas boas surpresas e é bem conclusivo, como eu gosto. Resultado: 2,5 estrelinhas para o Sr. Defoe! 

Sr. Defoe Mau! Muito mau!


Pior Ficção: Antes Que Eu Vá - Lauren Oliver

Minhas altas expectativas influenciaram, e muito, na baixa nota desse livro. Por se tratar de um young adult que é amado praticamente por todo mundo, imaginei uma profundidade nos personagens que só foi se mostrar nas últimas cinquenta páginas, e passei o livro inteiro procurando o que não existia. O início foi especialmente insuportável, e cheguei a pensar em abandonar o livro - e vocês, meus queridos seguidores, sabem que não abandono um livro facilmente. Mas, fiquei feliz por ter insistido: o final é uma lindeza! Um três estrelas que poderia ter sido melhor!

Livro "Aff!" do ano!


Pior Fantasia: Praticamente Inofensiva - Douglas Adams (O Guia do Mochileiro das Galáxias #05) [releitura]

Muita calma, pessoal: vamos respirar fundo! Hahaha. Não se enganem: a série é uma das minhas preferidas, e foi exatamente por isso que decidi fazer uma releitura! Mas a verdade é que o último livro tem um tom completamente diferente dos outros quatro, e o final destoa de toda a diversão da série. Isso me desagradou quando a li da primeira vez e continuou me desagradando na releitura! Não entendi qual foi o objetivo do autor com esse desfecho, mas é aquele tipo de final que você já dava todos os sinais e você se recusava a enxergar; e que deixa indecisa entre a vontade de estapear o autor ou fingir que faz parte da galera que "já sabia o tempo todo". Na dúvida, eu não fiz nenhum dos dois: declarei o livro 3 estrelas e já aviso aos navegantes: vocês também não vão gostar!

PORQUE???


Pior Romance: O Diário de Suzanna Para Nicholas - James Petterson

Enredo óbvio, romance forçado, protagonista feminina intragável: essa leitura foi a receita para o desastre, que eu infelizmente já sabia desde as primeiras páginas. Na minha experiência, um romance não funciona quando não há aquela empatia imediata com o casal, e eu não suporto personagens como a Katie. Foi um sofrimento chegar até o final, porque estava óbvio o que iria acontecer, e o livro só acabou se salvando pela escrita do autor, que é bastante fluida e envolvente: esse é um livro para ser lido em um dia, tranquilamente. Três estrelinhas para o livro e uma pequena curiosidade de ler mais coisas do autor.

Katie, eu te odeio!


Pior Young Adult: Entre o Agora e o Sempre - J. A. Redmerski

Como vocês já sabem, esse definitivamente não é meu gênero preferido. Mas, como boa leitora que sou, não consigo deixar uma série não finalizada! O primeiro livro, "Entre o Agora e o Nunca", foi um livro ok, mas que na verdade eu nem me lembrava de ter lido. Já essa continuação... Alguns elementos que surgiram na trama me fizeram duvidar da sanidade da autora: quem, em sã consciência, acha que uma adolescente ficaria encantada ao se descobrir grávida, em um relacionamento disfuncional, sem emprego e sem o apoio da família?! O desenvolvimento dos personagens me parecia tão irreal que me impedia de prosseguir a leitura, mas com muito esforço mental, consegui chegar ao final e dei o veredito: 2,5 estrelas e sem mais livros da série "The Edge of Never" para mim!

Nah! Não, obrigada! 


Pior Distopia: A Estrada - Cormac McCarthy

Ok, eu sei o que vocês estão pensando: "Mas, Mari, esse livro é um ganhador do Pulitzer!!", e sim, eu sei disso. Mas, gente! Um enredo confuso, não linear, cheio de furos, não sequencial. Não há desenvolvimento de personagens, que ficam por páginas e páginas na mesma rotina; o "mistério" central é esticado até o ponto do tédio e, no fim, eu simplesmente não me importava mais com o que estava acontecendo: só queria que o livro acabasse!
Claro, nem tudo é tristeza nessa vida: os momentos de suspense do livro são de tirar o fôlego, e cativam a atenção do leitor. Em um tema tão batido quanto o apocalipse, o autor conseguiu trazer algo de novo e isso é incrível! Acabei classificando com três estrelas e perdendo algumas horas imaginando como é que o Pulitzer e "A Estrada" se encontraram...

Pulitzer?! Sério mesmo?!?


Pior Ficção História: No Caminho de Swann - Marcel Proust

Se vocês já se sentiram inadequados para um livros, vocês vão entender o que eu estou falando: No Caminho de Swann foi muita areia para o meu caminhãozinho. A escrita do autor não é exatamente fácil, e isso acabou me atrasando na leitura e me fazendo reler várias vezes determinadas partes do livro, me sentindo cada vez mais confusa. Esse foi um caso clássico de "não-é-você-sou-eu" e declaro publicamente que o Sr. Proust não tem culpa nenhuma: acho que preciso de mais "maturidade literária" para aproveitar mais a série Em Busca do Tempo Perdido. É um pouco complicado de explicar e espero que vocês tenham entendido, mas o fato é que essa foi uma leitura três estrelas para mim!

Me desculpa, Sr. Proust! ='(


Pior Terror/Horror: A Ilha do Dr. Moreau - H. G. Wells

Essa foi a escolha para o mês do Horror do Clube Literário e já vou começar confessando que, caso eu houvesse lido qualquer resenha antes da leitura, teria me acovardado e nem teria lido. Qualquer história que conste a palavra "vivissecção" me faz correr imediatamente para as colinas, e você vai encontrar isso e muito mais nesse livro. Minha solução foi fazer leitura dinâmica nessas partes, e nas partes piores, pular trechos inteiros do enredo. Brasileira que sou, não desisti e cheguei no final, levemente traumatizada, mas feliz por ter enfrentado meus medos!

Vivisec...ARGHHHH


Pior Chick-Lit: Irvy, Virando a Mesa - Karen Quinn

Eu tentei realmente não odiar esse livro, especialmente porque o comprei na Bienal de SP e o carreguei por 400 km, só para descobrir que é o pior Chick Lit que eu já li na minha vida. Me senti insultada por todas as feministas do universo, lendo sobre uma protagonista que tinha como maior objetivo de vida participar de um programa de "polícia da moda" e encontrar um marido rico, ainda que infiel, para ser sustentada por ele... Argh! Claro que o final é cheio daquela redenção que todos nós já esperamos, mas nem isso nem os trechos verdadeiramente hilários do enredo compensaram a leitura: duas estrelinhas para Irvy!

ESCUTA AQUI QUERIDINHA

E esses foram os piores livros que li no ano! Não se enganem com o tom de tristeza desse post: tive um ano de leituras excelentes! Mas, como sabemos, nem tudo são flores nessa vida e, não importa o quanto a gente se esforce, algumas leituras não são para nosso coraçãozinho literário!
No próximo post, vamos falar de coisas boas: vem aí o Oscar Literário 2015!
Vejo vocês em breve!
Bjos & Até Mais ;)

\o/