quinta-feira, 6 de agosto de 2015

[Resenha] O Sol É Para Todos - Harper Lee (Livro & Filme)

Bom dia, queridos e queridas!
Como vocês estão nessa linda quinta-feira? Ansiosos para o descanso do fim de semana? Eu estou contando as horas! Hahaha.
Me desculpem pelo atraso desse post, que era pra ter sido publicado ontem. Correrias no trabalho, sabem como é! Hahaha. Mas, promessa é dívida: hoje vim correndo trazer essa super resenha pra vocês!
Li esse clássico da Harper Lee em novembro do ano passado, me apaixonei completamente pelo livro, que se tornou um dos meus favoritos da vida! E, desde então, tenho adiado para assistir o filme, graças aquele medo velho conhecido dos leitores: de que a adaptação para o cinema não estivesse a altura da beleza da obra literária.
Nesse último final de semana, aproveitei o tempo livre e a pipoca extra para me atualizar no desafio Livros & Filmes, e hoje vim falar um pouquinho dessas duas lindezas. Vem comigo que eu te conto tudo!
Já começo esse post reconhecendo: demorei muito tempo para dar uma chance para o clássico da Harper Lee. Por algum motivo sempre estava adiando a leitura, fugindo de resenhas, já que como vocês sabem, eu gosto de mergulhar na leitura sabendo o mínimo possível do enredo. A oportunidade só surgiu através do clube literário que participo, o Literary Hurricane, que fez de "O Sol É Para Todos" a escolha do mês.
Confesso que já fui cativada logo nas primeiras páginas. A linguagem que a autora escolheu, simples e bela, somado a escolha de protagonistas - a Scout e o Jem, dois irmãos super fofos - e o enredo, simplesmente incrível, prende o leitor: sempre dá aquela vontade de virar a página. 
O tema da discriminação racial é abordado, inicialmente, de forma bem sutil, como vistos pelos olhos das crianças; o que sinceramente achei um tanto temerário por parte da autora: poderia dar muito certo ou muito errado. Mas Harper Lee conseguiu dar o tom ideal para a narrativa, o equilíbrio perfeito entre a comédia e o drama, a inocência e a violência.
A medida em que a história avançava, eu sentia aquele medo que sempre bate quando me deparo com livros assim espetaculares: será que o final conseguiria fechar aquele enredo, compreendendo a história principal e de todos os personagens, com o mesmo equilíbrio que a autora havia demonstrado? Mas, felizmente, meu medo foi em vão: o final é um dos melhores que eu já li até hoje. Sempre digo isso, mas nunca é demais repetir em casos como esse: fujam de resenhas e spoileres. Esse livro quer te surpreender, e eu aconselho que você o deixe fazer isso.
Acho que já deu pra perceber que O Sol É Para Todos é um livro cinco estrelas com todas as honras possíveis, que tem tudo pra se tornar um dos favoritos da sua vida. Mas, ainda cabe mais um elogio: a Scout é uma das crianças mais fofas e engraçadas da literatura mundial! 

O Filme

O filme é uma lindeza de 1962, em preto e branco, com duas horas de duração e muita, muita lindeza. Vencedor do Oscar de Melhor Ator Principal (para o Gregory Peck), Melhor Roteiro e Melhor Direção de Arte em Preto e Branco; além de outras cinco indicações (Melhor Atriz Coadjuvante para Mary Badham, Melhor Diretor, Melhor Filme, Melhor Fotografia e Melhor Trilha Sonora), "To Kill a Mockingbird" se tornou um clássico praticamente logo após o lançamento.



Como adaptação literária, posso afirmar sem sombra de dúvidas: os anos 60 foram os anos dourados, em que as histórias eram apenas ligeiramente resumidas, e adulteradas o menos possível. O filme é impecável, as atuações são espetaculares e eu garanto que você vai ficar cativado do começo ao fim! 



Me emocionei bastante: ri, chorei, depois ri mais ainda. No geral, é um filme para se divertir, mas a emoção é inevitável: ri, chorei, depois ri mais um pouquinho; e no final queria muito poder apertar as bochechas da Scout e dar um abraço no Atitcus, o super pai do ano!
Mesmo para aqueles leitores que não são fãs de filmes antigos, fica aqui minha indicação e meu apelo: assistam essa lindeza! 


Curiosidades

Robert Duvall faz uma pequena ponta no filme. 
Sim, é esse jovem loiro mesmo!


Apesar de ser indicada ao Oscar na sua primeira atuação,
aos 10 anos de idade, Mary Badham - a super fofa
Scout - preferiu não seguir a carreira de atriz e hoje,
aos 62 anos, é aposentada de seu trabalho
como restauradora de arte. 


Quote Preferido

"If you learn a single trick, Scout, you'll get along a lot better with all kinds of folks. You never really understand a person until you consider things from his point of view. Until you climb inside of his skin and walk around in it." - To Kill a Mockingbird (1962)


❤ ❤ ❤ ❤ ❤ 

Por hoje é só, pessoal! Estarei de volta em breve com o post de leituras de julho e todas as atualizações dos desafios literários.
Bjos & Até Mais ;)